sábado, 24 de setembro de 2016

Obrigada e um coração azul.


Confesso que não gosto muito quando cê sai e passa mó tempão fora, mas saber que isso te deixa bem é muito bom... Ah, eu amo quando você manda um áudio e tá com a voz mais animada porque alguma coisa boa aconteceu aí.

Sim, eu reparo até na sua voz (e no jeito que você escreve também), porque eu me preocupo com você, porque você foi a melhor pessoa que apareceu na minha vida, porque sou sua irmã mais nova e tento cuidar de você,  como você tenta, do seu jeito, cuidar de mim. Eu tento fazer pra você,  metade do bem que você faz pra mim.

Sabe quando não dá pra ver mais o lado bom das coisas? Há uns dias eu tava bem assim, mas quando cê vinha falar comigo e tava super animado, eu me animava também, ficava feliz por ti.
Eu tento te agradecer por tudo todos os dias, de milhares de formas possíveis  (esse textos e uns outros aí são algumas tentativas). Obrigada, pela centésima vez... Eu sei que de "obrigadas" e "corações azuis" nossas conversas estão pra lá de cheias. Eu quero mesmo é te abraçar, um abraço daqueles com mais de vinte segundos, mais de um, dez minutos, se você quiser, pra matar a saudade,  pra tentar pôr tudo no lugar.