quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Três bilhetes. Três pessoas.



Hey, a única coisa boa que eu achei na saudade até hoje foi a percepção de quanto certos momentos foram bons, me lembro do primeiro “oi” que eu disse, quando você percebeu que eu faltei aula no meu aniversário de tanto que fiquei falando, quando o tudo começou. Mó gostinho de quero mais, vontade de que as coisas tivessem tomado um rumo totalmente diferente, porque é horrível perceber que estou me acostumando a sua ausência, me desculpe....

Hey, eu sei que você detesta que eu agradeça porque acha desnecessário, mas não tem como não agradecer, estando bem ou não você tá perto sempre, obrigada, nem mil vezes repetindo essa palavra seria o suficiente, quem sabe um abraço, aí eu lembro que você tá longe, muito longe e que não tenho noção de quando vou te ver de novo mas lembro também que isso só impede o abraço mesmo.

Hey, já pedi ao céu você aqui comigo, já joguei no mar flores pra te encontrar, já criei mil e um momentos na minha cabeça, só queria que pelo menos um deles se tornasse realidade, mas ainda não dá.